3 de outubro de 2009

O TESOURO DO GNOMO


O que é que estas a fazer? – perguntou o jardineiro a um gnomo que se encontrava a cavar ao lado de um grande cogumelo.
_ Ando à procura de um tesouro – respondeu-lhe, sem parar de cavar.
_ Não me parece que vás encontrar um tesouro aí – disse-lhe. – Nesta comarca nunca houve grandes riquezas.
_ Não! Não ando à procura de riquezas! – exclamou o pequeno ser. – estou à procura do meu próprio tesouro.
O jardineiro inclinou a cabeça de lado, como fazem os cães quando ouvem algo estranho.
_ E acreditas que o teu tesouro está aí?
_ Tanto faz se está ou não – respondeu-lhe o teimoso gnomo.
_ Então, porque é que procuras um tesouro?
O gnomo interrompeu o trabalho, voltou-se para o jardineiro com os braços na cintura, e dando mostras de estar a perder a paciência, disse-lhe:
_ Para que é que tu achas que se pode procurar um tesouro? – E sem esperar pela resposta, exclamou: para me sentir vivo!
E continuou a cavar, enquanto o jardineiro, um tanto embaraçado, optava por desaparecer em silêncio.

O Jardineiro
Contos para Curar a Alma
de Grian

Além de me sentar à beira de um lago... por vezes tenho que procurar um tesouro...