8 de junho de 2009



Inércia minha...
espelho da minha entrega.
Vou antes contemplar o silêncio do Norte e esperar.
Vou guardar o que vivi, o que o Vento me nega.
e deixar de olhar-te... reflexo inútil de mim.
asa quebrada de ventos de nortada...
com um tolo e derradeiro fim.