29 de fevereiro de 2008


Encarar o inesperado como rotina
tarefa dos árduos
ambição de tolos
jogo de natos.
olhar de frente o que não se espera...
um abrir de olhos, um cerrar de mãos.
medo atroz, terror dos terrenos.

ou um respirar... curvar os sentidos e avançar a alma na densa floresta dos espíritos.
ou cair...
todo este encher de marés num segundo, num pestanejar, lacrimejar...
sinopse de luz, síncope de reflexos...
hemorragia de súplicas.

A Queda,
essa dói sempre.
A Dor... dilacera.
A Diferença... são as feridas:
umas saram , outras permanecem.
O Horizonte... esse... nunca mais é o mesmo.
O Som do Mundo, liga-se ao amplificador de almas...
Os gritos, os murmurios, os sentimentos, os pensamentos, o sorrir, o chorar, o lutar, desistir, resistir... é tudo som, tudo música
de uma Harpa fantasma
leitura de Pauta de Vidas.
28/02/08