9 de novembro de 2006


tenho a mente turvada, não consigo escrever nada.
tenho o peito vazio, cheio de dor e de frio.
tenho sonhos derramados
em rasgos destinos malfadados.
tenho tudo... e não tenho nada.
30/10/06
gostava de saber ouvir o humor dos céus,
sem o sarcasmo do homem, com a inocência de uma criança.
gostava de sentir orgulho pelas marcas de uma sina, em vez de dor pela vida não vivida.
gostava de sentir compaixão pelos que nada me são... em vez de pena de mim, que nada sou.
raiva de mim, que nada dou...
gostava de um dia, saber quem sou...
Cobarde? Egoísta?

talvez... mas de mim mais não dou!
08/11/06